• Suellen Gonçalves

Compostos bioativos do café



O café é a principal bebida não alcoólica mais amplamente consumida em todo o mundo. Existem dois tipos de café: café torrado e café verde. O café verde é produzido através de grãos de café verde que não passam pelo processo de torrefação. 

Durante o processo de torrefação, o café torrado é rico em uma variedade de compostos que fornecem aroma, sabor e cor devido às reações químicas. Mesmo a cafeína sendo considerada um dos componentes bioativos mais importantes e conhecidos do café, pesquisas de longo prazo mostram que a bioatividade do café está intimamente relacionada aos outros compostos bioativos presentes: ácidos clorogênicos, trigonelina, álcoois de triptofano, diterpenos e outros metabólitos secundários. O café verde possui mais cafeína e ácidos clorogênicos do que o café torrado.


Dados científicos concluem que o consumo moderado de café está associado à diminuição do risco de diabetes mellitus tipo II e doenças cardiovasculares em adultos. Além disso, algumas evidências indicam possível associação entre ingestão de cafeína e risco reduzido de doença de Parkinson. O consumo frequente de café verde ou torrado pode ser benéfico para indivíduos saudáveis ​​e hipercolesterolêmicos, a fim de evitar a Síndrome Metabólica (SM), pois pode exibir efeitos positivos nos níveis de pressão arterial, glicose sérica e triglicerídeos, sendo especialmente interessante para indivíduos com hipercolesterolemia, como o café melhorou o perfil lipídico.

De acordo com o Dietary Guidelines Advisory 2015, observa-se que as pessoas devem consumir até 400 mg de dose de café em cápsula ou em pó - ou seja, cerca de 2-3 xícaras de café por dia. Os dados científicos sustentam que, acima desse nível, o consumo apresenta consequências negativas. Além disso, vale ressaltar que a prevenção de várias doenças pelo café é geralmente a ação conjunta de múltiplos componentes e, às vezes, o efeito sinérgico de vários tipos de compostos é melhor que a atividade isolada.


É claro que já é bem consolidado o papel ergogênico da cafeína de forma isolada, mas não há nada melhor que um cafezinho passada na hora!


REF: HU, WANG, QIU. The sources and mechanisms of bioactive ingredients in coffee. n. 10, Food Funct., 2019.

KONSTANTINIDI, KOUTELIDAKIS. Functional Foods and Bioactive Compounds: A Review of Its Possible Role on Weight Management and Obesity’s Metabolic Consequences. n. 6, v. 94, Medicines, 2019.


Suellen Gonçalves

Nutrição Integrativa 

1 visualização

©2020 por Suellen Gonçalves - Nutrição Integrativa